Mensagem

Novos Desafios

Num mundo globalizado, em que a informação circula de forma cada vez mais veloz e diversificada, é preciso se comunicar com clareza e eficiência.
A Fundação Vunesp pretende, por meio desse novo canal de comunicação, aproximar-se cada vez mais dos estudantes que desejam ingressar na Universidade Estadual Paulista, para difundir ainda mais as informações sobre o Vestibular da Unesp, um dos mais concorridos do País.
Neste espaço, serão divulgadas as principais informações sobre o Vestibular Unesp, em suas diversas etapas, e será usado, também, como suporte ao Portal da Vunesp, onde se encontram os conteúdos atualizados.
Com essa nova interação, o candidato passa a acompanhar e compreender, de forma clara e objetiva, o novo desafio que se apresenta. Sua opinião será muito bem recebida e contribuirá para o aprimoramento do debate sobre nosso Vestibular.
Seja bem-vindo.

 

O Vestibular

“Criada em 1976, a Unesp vem se consolidando como uma das principais universidades brasileiras. Nesse processo, a seleção dos alunos é item de importância fundamental e seu vestibular apresenta, a cada ano, modificações cujo objetivo permanente é não apenas seu aprimoramento,mas, também, o fortalecimento do vínculo entre o vestibular e a educação básica e o aumento do índice de inclusão social, preservando o mérito acadêmico. Para a concepção da prova, a Vunesp adota como princípio a busca dos melhores alunos, aqueles que são comprometidos com o trabalho estudantil, têm interesse na pesquisa, consciência de sua responsabilidade social e, além disso, reconhecem no trabalho e esforço acadêmico o progresso individual e coletivo, cientes de que a comunidade do Estado de São Paulo, ao investir em sua formação profissional de forma gratuita e com qualidade inquestionável, deposita esperanças no desenvolvimento e melhoria das condições socioeconômicas e tecnológicas. Em síntese, a UNESP busca alunos estudiosos, críticos e participativos.”

Tânia Cristina Arantes Macedo de Azevedo – Diretora Acadêmica da VUNESP

“Atualmente, a irracionalidade da decoreba e das pegadinhas serve de álibi para quem ensina mal”

Folha de São Paulo, 22/03/2009, p.A10