Blogueiro também sonha

Um blogueiro pode parecer um sujeito formado apenas de palavras. Não é. É um ser de carne e osso que escreve sempre com a intenção de ser lido, compreendido, de contribuir com algo de seus conhecimentos, pensamentos e reflexões para informar e estimular as pessoas que o leem a atentar para certos conteúdos, comportamentos, visões que povoam a net e a realidade externa. Um blogueiro é, em síntese, uma visão de mundo que se oferece como tal a seus leitores, por meio de textos próprios ou alheios que comenta.

Pois certo blogueiro, talvez por ser de carne, ossos e alma, ainda ontem teve um sonho dos mais interessantes, que na hora não conseguiu explicar bem: sonhou que caminhava com dificuldade pela escuridão total, um breu de escuridão, quando, ao longe, observou um portentoso castelo todo cheio de luzes; as próprias paredes brilhavam como portadoras de luz própria ante a escuro do entorno, que continuava total. De repente, a escuridão amenizou para o azul celeste e se viam e ouviam pássaros de todas as espécies voando em direção ao castelo: quando estavam já muito próximos, transformavam-se em linhas de luz de todas as cores e tons que ultrapassavam os muros e ingressavam em seu interior, fazendo com que, por instantes, até a chegada do próximo pássaro, o edifício reverberasse exatamente aquela cor. Todos, por fim, entravam, e então a visão final do sonho era um festival de linhas, luzes, cores e reverberações, como uma antevisão do que deve ser o Paraíso Universal, se um dia formos dignos de chegar lá.

O blogueiro acordou aborrecido. Queria continuar sonhando. Queria continuar sonhando para sempre aquela sinfonia de luzes e cores, que o faziam sentir-se tão bem, tão eufórico, tão feliz, tão certo de que não haveria outro sonho capaz de provocar tantas sensações ótimas ao mesmo tempo. Após algumas horas, porém, já metido em seus trabalhos de criar e escrever e viajar pela web à procura de conhecimentos novos, passou a perguntar-se, como se perguntam as pessoas, como se perguntava aquele faraó do Velho Testamento, se o sonho teria algum significado em sua vida, uma premonição talvez de eventos futuros ou, mesmo, uma representação de seus anseios e metas no mundo. Ou talvez até de sua morte próxima.

Por mais que tentasse, não conseguiu interpretar nada além do que sentira no próprio sonho: a pura alegria do sonhar com um conteúdo visualmente maravilhoso e misteriosamente sugestivo de coisas boas. Sabendo que não conseguiria passar daquele nível de compreensão, apelou para sua esposa, contando-lhe inteiramente o sonho e o que sentira. E ela, com a sabedoria proverbial de que só as amantes esposas são capazes, perguntou: Em que você tem mais pensado nos últimos dias?

A pergunta o  deixou confuso e preocupado com a possibilidade de ela estar fugindo do assunto, por não julgar importante. Mesmo assim, respondeu: Tenho pensado muito nos garotos que fizeram vestibulares de inverno e, agora, quando os resultados saem, têm de tomar difíceis decisões de se matricularem neste ou naquele curso em que foram aprovados. Tenho pensado também, e muito, naqueles que reprovaram e no que significa para eles esse fato: uma derrota estrondosa? um obstáculo não vencido mas ainda a vencer? um motivo para desistirem de tudo e mudarem de meta, esquecendo vestibulares? Confesso que me preocupo mais com os que não passaram do que com os que passaram…

Pois aí está o seu sonho! exclamou a esposa. Você idealizou um mundo em que todos os pássaros conseguem se transformar em luzes e ingressar, não apenas para absorver a luz do castelo, mas também para contribuírem com suas próprias luzes.  Você se sentiu maravilhosamente bem, porque esse é o seu maior ideal, uma utopia, é bem verdade, mas as utopias muitas vezes são alcançadas: fazer com que todos os pássaros, todos os estudantes, venham um dia a ingressar diretamente nas universidades de qualidade,  para que tenham possibilidade de demonstrar que são capazes de atingir a formação completa.

O blogueiro concordou, encantado, louvou a esposa pela interpretação, enquanto ela concluía a análise: Além do mais, você está e sempre esteve inteiramente certo nesse ideal, que está expresso na Declaração Universal dos Direitos do Homem. É só ler com atenção.

O Blogueiro se cumprimentou, interiormente, por ter uma esposa como aquela, muito mais sábia do que ele.

 

Deixe um comentário