O que a Unesp quer de mim?

Algumas vezes você se pergunta, em meio a todo o esforço de estudo para os vestibulares: Afinal, o que a universidade quer de mim?

Boa pergunta. E a resposta aparece nos manuais dos candidatos de todas as universidades. No caso da Unesp, transformando a pergunta genérica acima em O que a Unesp quer de mim?, a resposta se encontra, por exemplo, nos objetivos fixados no artigo primeiro da resolução que rege o Concurso Vestibular Meio de Ano 2012:

 

Art. 1º. – O Concurso Vestibular Unesp Meio de Ano 2012 consiste na seleção e classificação de candidatos à matrícula inicial nos Cursos de Graduação no segundo semestre letivo, tendo por objetivos:

1 – Selecionar candidatos capazes de:

a) articular ideias de modo coerente;

b) compreender ideias, relacionando-as;

c) expressar-se com clareza;

d) conhecer o conteúdo do  currículo da educação básica do estado de São Paulo.

II – integrar os objetivos da Universidade àqueles desenvolvidos pelo sistema de ensino fundamental e médio;

III – dar condições para o desenvolvimento de potencialidades e aptidões do aluno nas áreas específicas da Universidade.

 

É isto o que a Unesp deseja de você. É muito? Na verdade, não. É apenas o que você pode oferecer, por ter sido aprovado nos ensinos fundamental e médio. Obviamente, você sabe disso, mas sua pergunta visou atingir outro patamar: você quer saber de modo mais específico as qualidades e habilidades que a Unesp busca nos ingressantes. Perfeito. Essas qualidades e habilidades estão descritas no artigo acima citado. E convenhamos, desde já, que não são exigências “terríveis”: capacidade de ler, compreender, raciocinar, argumentar, expressar-se. O que significa isso em termos de exames? Simples: tomando por base que sua comunicação inicial com a Universidade, por meio das diferentes provas, se faz pela leitura e pela escrita, espera-se que você demonstre ser capaz de ler os textos e enunciados de questões, compreender o que se pede, raciocinar de modo preciso na elaboração das soluções e responder em discurso claro.

Sim, você diria, mas se perguntarem apenas o que eu não sei? Essa possibilidade, no caso de exames vestibulares das universidades públicas, não existe, porque as provas são elaboradas com base nos conteúdos dos currículos atuais das escolas de ensino fundamental e médio, que obedecem aos preceitos federais e estaduais sobre a educação. E o objetivo fundamental na elaboração das questões não é perguntar o que o estudante não pode saber, mas o que o estudante deve saber por haver recebido tais conteúdos ao longo do ensino básico.

Se até agora não notou, observe com atenção: os objetivos dos exames vestibulares, acima transcritos, são os mesmos do ensino básico! O que esse ensino lhe ofereceu, em termos de conteúdos, ao longo de 12 anos? A aquisição de competências em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte); Ciências Humanas e suas tecnologias (história, geografia e filosofia) e Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias (biologia, química, física e matemática). Você teve, assim, uma formação ampla, por meio da qual a escola básica também procurou prepará-lo como um cidadão, ou seja, como um indivíduo capaz de interagir positivamente, eticamente, produtivamente com a sua comunidade e a sociedade em geral.

A Unesp, deste modo, não quer saber se você tem esta ou aquela virtude, esta ou aquela qualidade, esta ou aquela competência em particular. Ela quer saber se você aproveitou muito bem e como um todo a formação que lhe foi oferecida e se tornou um indivíduo capaz de articular ideias de modo coerente, compreender ideias, relacionando-as, expressar-se com clareza, conhecer o conteúdo do  currículo da educação básica do estado de São Paulo. E isto, a ponto de merecer classificação para uma das vagas do curso escolhido. Por isso as provas são extensas, amplas, procuram focalizar o máximo possível dos conteúdos das áreas acima mencionadas.

Obtida a vaga, efetuada a matrícula, você e a Unesp estarão juntos e atuantes, integrando os objetivos da universidade àqueles desenvolvidos pelo sistema de ensino fundamental e médio. Ao longo desse processo, a Unesp se compromete a dar condições para o desenvolvimento de suas potencialidades e aptidões na área específica escolhida por você.

Sim, mas o problema é conseguir a vaga! dirá você. Tem razão, e esse é o outro lado da medalha, o lado áspero, e os exames vestibulares são muitas vezes acusados, imerecidamente, de causadores dessa aspereza, quando a verdadeira causa é outra. O ideal seria que todos os que se formam no ensino médio tivessem acesso automático e imediato a cursos superiores. Infelizmente, nosso país ainda não tem condições de oferecer vagas a todos em universidades públicas. Resultado:  você não pode dormir nos louros da conquista do ensino básico: tem de preparar-se arduamente para garantir classificação ao superior.

E agora? Ficou mais fácil entender por que se esforça tanto e continuará se esforçando ao longo do curso que fará na Unesp?

 

Deixe um comentário