Sua resposta, sua proposta

Você acha que em vestibulares haverá perguntas fáceis e perguntas difíceis? Está ligeiramente enganado. Não existe isso. Vestibular não tem por objetivo facilitar sua vida, mas avaliá-lo. As perguntas são elaboradas geralmente com a mesma dose de dificuldade. Você, evidentemente, pode achar umas fáceis, outras difíceis, na medida em que saiba responder sem ou com dificuldades. Essa facilidade, porém, corresponde ao seu conhecimento, e não propriamente ao fato de serem em si as questões fáceis ou difíceis, ou mais fáceis e mais difíceis.

É muito importante perceber isso, para não se ver atrapalhado em suas respostas ao considerar que certas questões são muito difíceis e não vale a pena dedicar muita atenção a elas. Na verdade, podem ser apenas trabalhosas, solicitando uma atenção um pouco maior que outras, em virtude da sua dificuldade em entendê-las ou do conhecimento em que se baseiam. Em resumo: em provas de vestibulares, não há questões “dadas”. Como geralmente se fundamentam em textos, cabe a você perceber que suas respostas estarão condicionadas ao que dizem esses textos. Por vezes, você pode até discordar da opinião neles manifestada, mas deve ler com muita atenção o enunciado das questões para verificar exatamente o que é pedido a respeito desta ou daquela passagem. Sua opinião será manifestada na redação. Nas perguntas, você deve encontrar o que se pede que encontre nos textos, e não na sua opinião particular.

Do que se disse acima se conclui que é da maior importância praticar a leitura e a interpretação. Quando a banca elaboradora estabelece as questões, tem como objetivo avaliar diferentes habilidades de leitura e de interpretação de textos, além, é claro, do conhecimento específico em virtude do qual tais textos foram escolhidos. Isso vale para todas as diferentes disciplinas e conteúdos que compõem as provas. Comece a analisar questões de provas e respectivas respostas de vestibulares anteriores, para verificar como costumam operar os elaboradores. Você pode, com isso, até descobrir certas “manhas” dos elaboradores ao focalizar um aspecto para interpretação. Depois de algum tempo, perceberá que perguntas à primeira vista consideradas difíceis são apenas mais trabalhosas para compreender o que pretendiam os elaboradores e, talvez por isso mesmo, para responder de modo adequado.

Assim fazendo, você chegará à conclusão de que suas respostas não podem ser extremamente simples, realizadas, por exemplo, por meio de uma frase curta. Responder uma questão é, neste sentido, fazer análise, interpretação e apresentar o resultado de forma mais clara possível. De certo modo, ao responder questões discursivas, por exemplo, você acaba elaborando uma verdadeira proposta de solução, que tem de ser muito bem embasada nos elementos questionados. Isso não quer dizer, por outro lado, que deva escrever demais ou encher linguiça, como costuma dizer o povo a alguém que fala muito e acaba não dizendo nada. Sua resposta, além de identificar o que é solicitado, tem de ser bem dosada, para demonstrar que você fez o caminho certo ao longo da leitura.

É com isso em mente que deve fazer exercícios de leitura e intepretação ao longo de seus estudos. Analise as questões de vestibulares anteriores, verifique as respostas apresentadas pelos diferentes sites de cursos preparatórios e escolas. Tente mesmo fazer a crítica dessas respostas, verificando em que aspectos poderiam ser mais claras e explícitas.

E não esqueça, quando estiver fazendo seu vestibular: de certo modo, ao responder, você está elaborando uma proposta de interpretação ante a proposta de questão elaborada pela banca.

Agora você já sabe responder a indagação inicial deste artigo: com a preparação e o treinamento adequados, todas as questões se tornam fáceis.

 

Deixe um comentário