Essa disciplina não serve pra nada! Não, mesmo??

É muito comum ouvir dos estudantes manifestações como a que serve de título para este artigo: Esta disciplina não serve pra nada! Alguns dizem isso da matemática, outros, da língua portuguesa, outros, da história, outros, ainda, da filosofia, e assim por diante. Sempre existe um conteúdo que este ou aquele estudante abomina como inútil, sem serventia alguma. O Blogueiro não pensa assim. Por isso mesmo, fechou o título, ironicamente, com Não, mesmo??

Não é preciso condenar o aluno que assim se manifesta, sobretudo porque está sendo sincero em sua manifestação. É necessário, no entanto, advertir para o engano, nascido provavelmente mais de um gosto ou desgosto pessoal do que de uma análise dos conteúdos ensinados nas escolas e exigidos em vestibulares e concursos. Vamos então fazer uma análise fria dos fatos, usando como exemplos as quatro disciplinas mencionadas. Comecemos pela matemática. Matemática não serve mesmo para nada? Brincadeira. Claro que serve, e como serve! Imagine você o que deixaria de fazer sem a matemática, a começar pelas quatro operações básicas. A matemática está presente em todas as nossas atividades. Vai comprar um terreno e não sabe calcular a área. Vai fazer uma compra em prestações e nem faz ideia de como é o cálculo dos juros. Tem um carro e não sabe estabelecer o gasto de combustível. Compra e vende objetos e não consegue aferir o lucro. Isso só para falar em fatos triviais em que a matemática lhe servirá, quanto mais em outras tantas atividades bem mais complexas. Conclusão: não importa a profissão que venha a exercer no futuro; você não viverá bem sem um razoável conhecimento de matemática.

E a língua portuguesa. Ora, ora! Você já parou para pensar que a língua é o instrumento fundamental de sua comunicação com seus semelhantes, sejam seus familiares, sejam seus amigos, sejam seus colegas de trabalho. Sem um domínio regular da língua portuguesa você nem leria adequadamente, nem estudaria, pois todas as disciplinas dela se servem em seus livros, manuais, apostilas. E esse domínio implica seguir a norma padrão, que regula o modelo mais amplamente usado na escola, na mídia, nos livros. Dominar a língua portuguesa em sua norma padrão implica também colocá-lo num patamar significativo socialmente, razão por que os professores enfatizam que falar e escrever bem é um meio de ascensão social e profissional. Por isso mesmo, não menospreze o poder da língua portuguesa.

E a história? O Blogueiro já ouviu de muitos jovens que história não serve para nada, que não dá dinheiro a ninguém. Balela. Imagine-se completamente alheio à história universal e à história do Brasil. Você estaria alheio também à própria humanidade. Os conhecimentos de história fornecem ao indivíduo um gigantesco lastro de cultura. Esta disciplina faz com que nos identifiquemos com toda a humanidade em todas as épocas. Torna-nos, ao mesmo tempo, sábios e humildes na avaliação do papel que exercemos na sociedade e, assim também, nos ajuda a estabelecer objetivos na vida, em virtude da identificação com os vultos e os eventos históricos. Em um dos artigos anteriores deste Blogue, você percebeu quanto conteúdo, quanta experiência, quanto valor humano carrega uma expressão como Alea jacta est. É preciso dizer mais?

Sim, dirá alguém, mas a filosofia mesmo não tem serventia alguma. Nem sei por que devemos estudá-la. Novo equívoco. É por meio da filosofia que o ser humano busca compreender a si mesmo e a realidade que o cerca. A filosofia busca entender, por meio da reflexão e do raciocínio, expostos de forma argumentativa, as razões e os fundamentos da existência do homem e do mundo, do homem no mundo. Imagine você completamente neutro a essas dúvidas, a essas indagações, a essa busca de razões e explicações sobre a existência e a existência humana. Você seria praticamente um autômato, até capaz de realizar múltiplas tarefas, mas completamente alheio a si mesmo e ao universo. De certo modo, os filósofos nos ensinam a pensar, a duvidar, a questionar, a indagar sobre as razões de tudo o que nos cerca. É impensável, neste sentido, um estudante de curso superior ou mesmo um profissional já formado que não tenham lido pelo menos algumas páginas de Platão, de Aristóteles e de tantos filósofos do passado e contemporâneos. E ainda há quem diga que a filosofia não serve para nada!

O Blogueiro já se dá por satisfeito com as palavras acima, que são uma espécie de provocação para que você examine com cuidado todas as demais disciplinas que estuda, para verificar a grande e variada utilidade que exercem em sua formação e continuarão exercendo ao longo de sua vida pessoal e profissional. Pense bem.

 

 

Deixe um comentário