Evasão universitária: algo para você pensar

Você por certo sabe o que é evasão escolar: é o nome que se dá ao fato de estudantes que iniciam cursos, em qualquer nível, desistirem antes de formar-se, quer por necessidade, quer por decisão pessoal. No caso dos ensinos fundamental e médio, a evasão escolar é muito preocupante, pois significa que crianças e jovens crescerão sem a formação escolar necessária para a ascensão social e profissional em suas vidas.

A evasão, porém, atinge igualmente o ensino superior: jovens que conseguiram aprovação em vestibulares para os tão sonhados cursos acabam desistindo, muitas vezes ainda nos primeiros anos, de modo que o número dos que completam os cursos acaba sendo inferior — em alguns casos bem inferior — aos que iniciaram.

Mas afinal, pensará você, o que é que eu tenho a ver com isso, senhor Blogueiro, se sou apenas um candidato ainda? Na verdade, esse assunto deve interessá-lo, e muito, como base para suas reflexões sobre o que pretende ao prestar o vestibular. Pense bem: por que será que o índice de evasão universitária, mesmo nas universidades públicas é tão alto, muitas vezes beirando os 20%? Os estudos a respeito revelam que os estudantes desistentes apontam muitos motivos para abandonar os cursos que iniciaram: falta de conhecimento prévio a respeito do curso escolhido, dificuldade das aulas, pouca diversidade das grades curriculares, falta de didática de alguns professores, falta de segurança nas cidades em que se localizam as unidades universitárias, falta de infraestrutura, falta de apoio sob forma de bolsas para estudantes que necessitam, etc., etc.

Está percebendo agora como esta questão lhe interessa mesmo neste momento? Os motivos apontados devem interessá-lo e muito, pois poderá ocorrer que você se veja, quando na universidade, naquelas condições apontadas. O primeiro motivo, sobretudo, é algo que deve merecer toda a sua atenção. Não basta gostar do curso, estar apaixonado(a) por ele desde pequeno(a). É preciso investigar mais, verificar a grade curricular, ou seja, o conjunto das disciplinas e conteúdos que serão abordados ao longo do curso, para ter uma noção plena do caminho que vai trilhar. Em cursos da área de Exatas, muitas desistências são explicadas pela grande dificuldade de acompanhar as disciplinas da área nos primeiros anos.

O próprio Blogueiro se enganou, anos atrás, quando ingressou no curso de Letras Clássicas. Imaginava que iria formar-se como escritor, que era seu objetivo de vida. Na verdade, os cursos de Letras formam professores, de sorte que o Blogueiro acabou virando um professor. É claro que também se tornou escritor, embora o magistério lhe tenha causado dificuldades para atingir plenamente seu objetivo inicial. Menos mal, porque foi o magistério que sustentou sua vida, já que em nosso país a carreira de escritor não é lá muito bem remunerada.

Percebeu? Obter informações completas sobre o curso que pretende fazer é algo crucial, para evitar problemas futuros que possam levá-lo a desistir. Do mesmo modo, verificar as condições que terá na unidade universitária que ministra o curso é algo também muito importante. Para alguns, um curso numa capital é o mais desejável; para outros, será melhor numa cidade de menor porte; para outros, ainda, o ideal será na próprima cidade em que residem.

Por fim, é bom interessar-se, também, pela leitura de informações sobre os índices de evasão do curso escolhido e das razões apresentadas pelos desistentes. Não é impossível que algumas dessas razões possam fazê-lo alterar a localização do curso escolhido e até mesmo escolher outro curso.

Ficou claro para você? Ingressar numa universidade não é um ato que se limite apenas a prestar provas e receber aprovação. Será preciso, também, muita informação, muita reflexão, muita ponderação até que possa decidir com segurança. Pense nisso.

Leave a Reply