Informática: o denominador comum!

O Blogueiro conversou ontem com uma estudante universitária que disse ter lido quase tudo do nosso Blogue, quando se preparava para o vestibular. Foram muitos elogios à utilidade dos artigos, particularmente os que abordam os problemas das provas objetiva e discursiva. Sem se revelar, o Blogueiro ficou extremamente feliz, ao perceber que os objetivos do Blogue de auxiliar os candidatos em todos os aspectos possíveis das provas estão sendo atingidos.

Conversa vai, conversa vem, a interlocutora mencionou uma passagem de que o Blogueiro nem se lembrava mais: a questão da Informática nos estudos. Essa referência provocou reflexões que culminaram com o artigo de hoje. Evidentemente, os estudantes contam com celulares, tablets, computadores não apenas para comunicar-se e se divertir, mas também para estudar. Celulares e tablets são, de fato, pequenos computadores de bolso, com os quais se faz quase tudo o que fazem laptops e computadores de mesa. A Informática invadiu nossas vidas. Tomou conta. Aos poucos, estamos até abandonando os livros em papel (as árvores agradecem) e utilizando para leitura os e-readers, que têm a vantagem de ser verdadeiras bibliotecas de bolso.

É claro que essa profusão de aparelhos e o enorme horizonte de comunicação que propiciam tem também seus lados negativos, que não precisam ser abordados neste artigo. O Blogueiro faz questão de enfatizar o aspecto da utilidade desses aparelhinhos em nossa vida particular e profissional. Este é o alerta: se ainda não está totalmente preparado para a utilização de todos os programas e recursos que a Informática coloca em nossas mãos, já é tempo de abrir os olhos. Você está prestes a fazer mais de um vestibular e, por certo, será aprovado em um deles. Então não pode ignorar que hoje, em todas as formas de atividades, a Informática está presente, é o denominador comum. Qualquer que seja o curso que venha a fazer, os computadores e seus programas representarão um dos instrumentos indispensáveis. Assim, na mesma medida em que vislumbra sua formação no curso universitário, tente vislumbrar também o papel que os computadores e programas representarão nas variadas atividades profissionais que você terá. É inimaginável, hoje, por exemplo, qualquer forma de trabalho de formação superior sem a Informática, que acabou se tornando a linguagem das linguagens.

Em inícios dos anos noventa, no século passado, alguns professores universitários eram avessos aos computadores. Hoje, fazendo um trocadilho, é impensável pensar que alguns pensem assim. No mencionado início dos anos noventa, um professor de Arquitetura afirmou a um aluno, com muita convicção, que a prancheta e o lápis jamais seriam substituídos. Pura ilusão. Não demorou muito para os softwares de computador se tornarem uma sofisticada prancheta eletrônica com milhares de recursos. As maquetes se tornaram digitais e as animações passaram a fornecer uma visão das obras projetadas muito mais próxima da realidade. Nem é preciso mencionar outros exemplos que você conhece muito bem, como os milhares de recursos e possibilidades que a Informática tornou possível hoje para a Medicina, as Engenharias, a Agronomia, o Jornalismo, a Publicidade, o Ensino, a Administração, etc., etc., etc.

É isso aí. Na mesma medida em que vai ganhando certeza de que conquistará sua vaga, informe-se também sobre os softwares que serão utilizados ao longo de sua formação nesse curso. Se ainda não sabe utilizar, terá algum tempo para preparar-se até o início das aulas. Se já sabe, procure melhorar ainda mais seu desempenho. Será um modo de ingressar no ensino superior com o pé direito, ou, dito de outro modo, com outra metáfora, muito bem calçado.

 

 

Leave a Reply