Pontuação: não invente problemas

Vocêjáteveproblemascomossinaisdepontuaçãoporcertotrata-sedeumaspecto importanteparaaclarezadodiscursovaledizerparaqueosleitoresdenossostextosnãotenham dificuldadedeentendernossamensagem.

O parágrafo acima parece um pouco confuso, não parece? Claro que sim. O Blogueiro o fez assim, retirando os espaços entre os vocábulos, as maiúsculas que marcam início de período e os sinais de pontuação, para que você perceba, de um modo brincalhão, mas didático, como são necessários tais expedientes para a compreensão dos textos escritos. Então observe como deveria ter sido escrito o parágrafo:

Você já teve problemas com os sinais de pontuação? Por certo. Trata-se de um aspecto importante para a clareza do discurso, vale dizer, para que os leitores de nossos textos não tenham dificuldade de entender nossa mensagem.

Percebeu? Pois é. Então não duvide de que tal forma de sinalização foi criada com objetivos bastante lógicos. Em primeiro lugar, os espaços servem para distinguir entre si os vocábulos, o que facilita tremendamente a compreensão ao longo da leitura. Em segundo lugar, os sinais de pontuação identificam orações (por meio da vírgula ou do ponto-e-vírgula) e períodos (por meio do ponto). As iniciais maiúsculas, neste segundo caso, auxiliam a pontuação, marcando inícios de períodos. Resultado: nosso leitor tem seu trabalho de leitura e interpretação de nosso texto bastante facilitado, evitando-se a dificuldade e a confusão do exemplo inicial deste artigo.

Claro que você entendeu. Então note que, mesmo aparentemente desprezíveis, os espaços entre palavras são absolutamente necessários. Mais ainda quando você redige com uma caneta. Aceite, deste modo, um conselho: procure deixar os espaços bastante claros; não caia na armadilha de escrever as palavras juntinhas, com um mínimo de espaço, porque a tensão de uma prova pode fazer você unir sem querer duas palavras e gerar uma terceira que nada tem a ver com o seu texto. Um exemplo forjado com base no quarto parágrafo deste artigo, suprimindo-se um dos espaços entre vocábulos e, sem querer, gerando um inexistente: Então não duvide de quetal forma de sinalização. Sem querer (por hipótese), o Blogueiro, ao suprimir o espaço, criou o vocábulo quetal. Imagine o que poderia acontecer em qualquer outro caso, até mesmo a produção de um vocábulo vulgar ou uma palavra de baixo calão. Perigoso, não?

Outro problema é usar sem muito controle o ponto-de-exclamação. Alguns estudantes apanham a mania de terminar períodos com esse sinal, o que tumultua seu discurso. Não esqueça: o ponto-de-exclamação serve para sinalizar emoção, sentimento, na expressão do período. Então, use-o com moderação, sobretudo em um texto dissertativo, em que se requer lógica, raciocínio, argumentação. Isto vale também para o emprego de reticências: cuidado com elas. Melhor até não empregar em texto dissertativo.

Finalmente, não descuide de marcar os inícios de período com inicial maiúscula da primeira palavra. Trata-se de um erro reprovável, porque perturba o fluxo da leitura, fazendo o leitor parar, em dúvida.

Valeram os alertas? O Blogueiro acha que sim. O principal objetivo dessas formas sinalizadoras é a facilidade e clareza da leitura. E é exatamente isso que você pretende da banca de correção.

 

Leave a Reply