Diz o poeta visionário: nunca pense ser vencido!

O Blogueiro, hoje, amanheceu com a veia poética dilatada e se lembrou de um poema que leu quando adolescente na contracapa de um livro de bolso. E se o menciona aqui, é porque, desde a primeira leitura, sentiu-se influenciado e movido positivamente pelos versos, que, segundo algumas fontes, são de autoria do poeta brasileiro Manuel Bastos Tigre (1882-1957), muito conhecido por seus textos humorísticos e satíricos.

Quando leu o poema, o Blogueiro vivia inúmeras dúvidas em sua passagem para o universo adulto, inclusive com respeito ao vestibular que deveria fazer: queria cursar Letras Clássicas, curso formado basicamente pelas disciplinas Língua Portuguesa, Língua Latina, Língua Grega e suas correspondentes literaturas. O vestibular era difícil, havia provas orais de Língua e Literatura Portuguesa e Brasileira, bem como de Língua Latina, além da prova escrita, constituída por questões discursivas e redação. A prova escrita não era nada fácil, havendo sempre que fazer a análise sintática completa de um período composto. O Blogueiro foi “premiado” para analisar uma passagem de Os Lusíadas.

Pois é. No faz não faz, acabou se deparando com o poema de Bastos Tigre e recebeu, com a leitura, um forte estímulo não só para a vitória no vestibular, como também para a vitória em todos os caminhos de sua vida. Eis a primeira parte:

 

Pobre de ti, se pensas ser vencido!

Tua derrota é caso decidido.

Pensas vencer, mas como em ti não crês,

Tua descrença esmaga-te de vez.

Se imaginas perder, perdido estás;

Quem não confia em si, marcha para trás.

A força que te impele para a frente

É a decisão firmada em tua mente.

 

Estes primeiros oito versos representam uma síntese do que o poema desenvolve nos demais. Vale a pena ler inteiro em sites da internet. O que o Blogueiro deseja comentar é que tal texto, publicado há mais de 50 anos, representa, em seu todo, uma antecipação do que dizem hoje especialistas e avisam livros focados no comportamento humano: a atitude positiva que se deve ter ante as ocorrências de nossa vida, mesmo aquelas que vemos como derrotas.

A quem se destinam estas reflexões? A todos. A você, que foi aprovado e está prestes a iniciar um novo curso e, evidentemente, poderá experimentar muitas dúvidas em seu trajeto. A você que não conseguiu aprovação, mas com certeza ainda conseguirá. A você, que ainda não terminou o ensino médio (como o Blogueiro na época da primeira leitura do poema), mas já vê surgir o momento de tomar sua decisão sobre o curso, a universidade e o caminho que deve trilhar para obter a aprovação. A este respeito, vale lembrar uma notícia atual de um candidato que, tendo feito seus estudos inteiramente no ensino público, obteve passar em primeiro lugar em vestibulares de medicina de universidades coirmãs. Tal estudante representa exatamente a atitude descrita no poema.

Vale a pena, como desfecho, lembrar dos últimos quatro versos do poema, que sintetizam o modo de encarar o futuro e os eventos que nos trará:

 

Nem sempre o que mais corre a meta alcança,

Nem mais longe o mais forte o disco lança,

Mas o que, certo em si, vai firme em frente

Com a decisão firmada em sua mente.

 

Valeu? Percebeu que o poeta muitas vezes é um visionário? E se, neste momento, você, por não ter sido aprovado, está dando importância demasiada à derrota que sofreu, não custa lembrar também outro poeta mais atual, Paulo Vanzolini, que na letra do samba Volta por cima, magistralmente escreveu: Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.

Você vencerá os seus desafios, não tenha dúvidas disso!

 

Leave a Reply