Sua escolha: vocação, cidadania, crise

Talvez não seja esse o seu caso, mas, nesta época de conferir os resultados dos exames, alguns candidatos ficam em dúvida porque optaram por diferentes cursos em diferentes vestibulares. E acabaram sendo aprovados em todos os exames que prestaram. E surgem as dúvidas: que universidade escolher? que curso escolher?

Aqui cabe uma reflexão do Blogueiro: na atualidade, considerando a crise vivida pelo país e pelo mundo não apenas no plano econômico, mas sobretudo no plano ético, no político, nos usos e nos costumes os homens têm de estar mais unidos do que jamais estiveram. Por todo o planeta, populações passam necessidades, se tornam vítimas de conflitos, guerrilhas e até de guerras. Isso chega a tal ponto, que grandes grupos de pessoas têm de abandonar seus lares e países e buscar outros lugares onde possam viver suas vidas, seus trabalhos, seus objetivos.

No Brasil, toda essa crise está gerando medo nas pessoas. Com o surgimento das demissões em massa, do desemprego, do fechamento de empresas e, pior, da quebra da perspectiva de uma melhora a curto prazo, o pessimismo ganha forças.

E agora? Você passou em mais um vestibular em que optou por cursos diferentes. Que curso escolher? Aquele que considera sua maior vocação? Aquele que poderá lhe dar mais chances de enriquecimento? Aquele que sua família aconselha?

O Blogueiro não tem uma solução mágica para suas dúvidas, mas tentará fornececer uma perspectiva de escolha em função da atualidade que todos vivemos. Em primeiro lugar, tenha em mente que aquele mundo ideal, cor-de-rosa, quase romântico de algum tempo atrás não existe mais. A globalização transformou o planeta: mudaram os costumes, mudaram as concepções, mudou a visão de mundo. Enquanto a tecnologia se desenvolvia e a comunicação se universalizava pela internet, os antigos valores entravam em crise. Isso explica por que a própria internet, que deveria ser apenas um bem, frequentemente provoca o mal, despertando o que há de pior no espírito do ser humano.

E agora? É nesse panorama que você vai fazer sua opção. Isso significa que, hoje, você não faz escolhas apenas por você, mas por toda a sua comunidade,  pelo país, pela humaninade.

Alguns acham, ao contrário, que o importante, agora, tanto em termos de cursos, quanto em termos de empreendimentos, é ganhar dinheiro, muito dinheiro. Errado. Não é. Hoje, mais do que nunca, todos somos um. Não temos direito ao egocentrismo, à visão puramente egoísta, as decisões exclusivamente em causa própria.

Esse é o verdadeiro plano de sua escolha: pensar simultaneamente em você, nos seus sonhos, na sua comunidade, no seu país, na possibilidade de minimizar o sofrimento das pessoas e na própria sobrevivência do planeta, que, pela degeneração dos costumes humanos, pode ser levado à extinção. Ao fazê-lo, medite sobre estes quatro versos de Gregório de Matos:

 

O todo sem a parte não é todo,

A parte sem o todo não é parte,

Mas se a parte o faz todo, sendo parte,

Não se diga que é parte, sendo todo.

 

Lindo e profundo, não? Pense nisso.  E faça sua escolha.

 

Deixe um comentário