Arquivo de 15 de janeiro de 2018

É isso aí, galera!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Enquanto os candidatos que prestaram o exame vestibular da Unesp aguardam os resultados, logo para o início de fevereiro, o Blogueiro já começa a pensar em você, estreante, que ao longo deste ano prestará pela primeira vez seus exames. É claro que nada é estranho para você nesse assunto, pois por certo estará acompanhando os resultados, para verificar se algum colega mais velho foi aprovado. E o faz, é claro, também pensando em seus exames, que ocorrerão ao longo deste ano.

É nesta oportunidade e neste momento que o Blogueiro começa a ser útil a você. Vale a pena explicar por pontos. Primeiro: os resultados que terão seus colegas estarão na razão direta da intensidade de seus estudos e preparativos. Vestibular não é loteria, é fato concreto, é comprovação de rendimento escolar. Segundo: na vida, e não apenas em vestibulares, a vitória é sempre do melhor preparado; não há sorte, não há coincidências entre o que você estuda e o que vai ser solicitado nas provas. Terceiro: o melhor ponto de partida para preparar-se adequadamente é ter perfeita noção de seus méritos e suas fraquezas. Estudar, deste modo, tem a função de aperfeiçoar seus méritos e diminuir, senão eliminar, suas fraquezas. Quarto: ninguém sabe mais ou menos; ou sabe, ou não sabe. Quinto: repetir e repetir e repetir é o melhor modo de fixar. Não se contente com um só exercício, repita o suficiente para ter certeza de que não vai esquecer.

Um lembrete é aqui também muito importante a respeito dos chamados vestibulares de inverno, também chamados de vestibulares de meio de ano. O Blogueiro já disse, mais de uma vez, que os cursos oferecidos nesses vestibulares têm a mesma qualidade dos oferecidos no final do ano. A universidade é a mesma, a unidade é a mesma, as provas são elaboradas e corrigidas pelas mesmas equipes, os professores são os mesmos, os diplomas terão o mesmo valor. Deste modo, tanto faz ingressar na universidade no meio como no fim do ano. Fique alerta a esse fato, portanto, para não correr o risco de desprezar um curso em que foi aprovado no meio do ano e acabar não sendo aprovado em vestibulares de final do ano. Aqui vale acompanhar a sabedoria do povo, que criou o provérbio Mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

Outro lembrete importante diz respeito ao curso que escolherá. O Blogueiro já alertou sobre o fato de que, apesar da predileção pessoal, o estudante não pode e não deve voltar as costas para o mundo. A opção por um curso mais promissor deve ser sempre considerada uma possibilidade. Escolha de curso não deve ser objeto apenas de simpatia, mas convém considerar outros aspectos, como, por exemplo, o campo de emprego depois de formado, a relação com a realidade do mercado de trabalho atual, as faixas de remuneração e as possibilidades de subir muitos degraus ao longo da carreira.

Para usar uma linguagem mais de acordo com os jovens, o Blogueiro encerra estes primeiros conselhos dizendo: É isso aí, galera! Vestibular não é mágica. Mas é cheio de truques.