Archive for May 4th, 2017

Palavra-chave, uma boa dica

Thursday, May 4th, 2017

Quando fazemos a análise de um texto literário, seja em verso, seja em prosa, nossos professores sugerem que localizemos as palavras-chave. É considerada chave a palavra que representa, por si mesma, o significado global de um texto, ou, pelo menos, um significado que possa representar uma espécie de síntese do que está sendo comunicado no texto. Por essa mesma razão, além de sua utilização na análise de textos literários, as palavras-chave são empregadas em classificações bibliográficas, bem como na própria linguagem da informática, para indicar certos conteúdos predeterminados.

Note, a este respeito, que nos buscadores da internet chegamos aos sites desejados digitando a busca por meio de palavras-chave. Estabelecemos, assim, todo um sistema de buscas por meio da combinação de palavras que encerram os conteúdos procurados por nós para chegar aos sites. Por vezes, nesse trabalho, chegamos a digitar verdadeiras frases-chave, como modo de atingir mais depressa e com mais eficiência tais sites.

Esse emprego instrumental das palavras é de grande utilidade, também, em nossas provas, seja de concursos de acesso em geral, seja em vestibulares, em questões, em textos de apoio, em propostas de redação.

Ao ler uma questão, quer objetiva, quer discursiva, devemos ter em mente que uma ou mais palavras nela carregam o significado mais abrangente e principal. Isso é importantíssimo, porque sua resposta tomará por base tal ou tais palavras-chave. No caso das questões objetivas, essa estratégia é importantíssima, porque nos ajudará a eliminar alternativas improcedentes, bem como discernir entre duas alternativas aparentemente procedentes qual está mais entrosada com o conteúdo do enunciado da pergunta.

No caso das questões discursivas, a identificação da ou das chaves evitará que nos desviemos perigosamente do que é explicitamente solicitado na pergunta. A inobservância desse pormenor já fez muitos candidatos responderem de modo errado perguntas cujas respostas conheciam.

O mesmo se pode dizer de textos de apoio a questões, quer objetivas, quer discursivas. É preciso identificar as palavras-chave e verificar em que medida estão relacionadas com as dos enunciados das questões. Certa feita, numa série de questões objetivas, o Blogueiro percebeu que suas palavras-chave apontavam para uma interpretação particular do elaborador dessas questões e não de sua própria interpretação, que lhe parecia mais lógica. Por isso, seguiu a trilha da interpretação do elaborador, que se revelava na série de enunciados. Foi uma forma de esperteza que rendeu ao Blogueiro o acerto de toda a série de questões, muito embora não concordasse com a interpretação do elaborador. Isso acontece também.

Finalmente, considere muito importante a identificação de palavra-chave na proposta de redação. Se menosprezar esse detalhe, poderá até fazer uma bela redação, mas afastada do que pretende realmente a proposta.

Um bom treinamento, na atualidade, para a identificação de palavras-chave está nas entrevistas publicadas em jornais e revistas, seja em papel, seja na rede. Localize a palavra-chave de cada pergunta do entrevistador e a da resposta do entrevistado. Você terá, assim, muitas surpresas, ao verificar como os repórteres se revelam espertos e maliciosos, e como os entrevistados são capazes de escapar de armadilhas das perguntas, ou até mesmo de mentir para evitar a confissão de atos, digamos, um tanto deprimentes.

Valeu? Então incorpore mais esse método aos seus estudos.