Arquivo de 5 de fevereiro de 2016

Estudantes, como andorinhas

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

As andorinhas são pássaros conhecidos em todo o mundo. No passado, eram conhecidas por gregos, persas, chineses e muitos outros povos, em cujas culturas assumiam diferentes simbologias. Uma das características mais conhecidas desses pássaros são suas migrações, que ocorrem quando o inverno chega aos locais em que estão e os obrigam a buscar regiões mais quentes. No Brasil, muitas cidades recebem anualmente a visita de andorinhas. Vêm aos bandos, todas as tardes, buscando árvores para abrigar-se durante a noite.  É um grande e maravilhoso espetáculo vê-las em evoluções ao crepúsculo. Em algumas cidades, a insensibilidade dos administradores faz com que cortem as árvores onde costumam passar as noites, para evitar que “sujem” suas praças e logradouros. Em outros, é uma verdadeira festa recebê-los.

O Blogueiro já contemplou por muitos anos essa cena, e de cada vez se entusiasmou mais, ao perceber que as andorinhas voam em bando parecendo obedecer a um só comando, sem erros ou enganos. Assim unidas em evoluções as mais diversas, parecem um único ser a tentar cobrir o céu com seus pequenos corpos unidos. Poetas e letristas dos mais diferentes gêneros de canções populares alguma vez já dedicaram suas obras a descrever a vida e o voo das andorinhas.

Por que, porém, o Blogueiro resolveu falar em andorinhas num blogue sobre vestibulares? Por uma imagem que lhe veio à mente, dos candidatos em época de matrícula e de primeiras aulas, comparados com bandos de andorinhas que chegam ao câmpus das universidades cheios de sonhos e metas  de estudo e de formação. Contemplar essa chegada é também algo maravilhoso, é a nova geração que começa a assumir suas responsabilidades para, em futuro, governarem suas cidades e seu país com seu esforço e trabalho. Os mais idosos não se furtam de pensar que talvez seja esta, finalmente, a geração de andori… ops! digo, a geração de estudantes e futuros profissionais que afastará este planeta do caminho para a destruição. Quem sabe?

Estudantes / andorinhas, andorinhas / estudantes. Parece que não é o Blogueiro, mas a própria Natureza, em sua fantástica biodiversidade, que consegue traçar as mais sutis analogias entre seres tão diferentes.

Mas seriam tão diferentes assim?