Arquivo de 23 de novembro de 2015

Não devore letras e palavras! Não têm proteínas e vitaminas

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Agora que está encerrada a primeira fase do Vestibular Meio de Ano da Unesp, você vai fazer suas revisões para a segunda e para certos probleminhas que podem prejudicá-lo numa prova discursiva. O tema de hoje são os esquecimentos e omissões, que podem ser quase inofensivos, mas também muito perigosos. O próprio Blogueiro, quando escreve, derrapa por vezes nesses esquecimentos e fica muito bravo consigo mesmo, pois não gosta de errar. O caso do vestibulando, porém, pode ser bem mais grave que as derrapagens de blogueiros, jornalistas, articulistas, pois a banca de correção pode penalizar o candidato com desconto da nota. Como se diz na escola, não coma letras, pois não têm vitaminas! Vamos examinar alguns alertas sobre esses problemas.

Quando se fala em escrever, normalmente se pensa em regras gramaticais, vocabulário, concordância, regência, etc., etc.  Poucas vezes se pensa em algo que pode ser fatal caminho para o erro: os esquecimentos banais. Algus são óbvios: o Blogueiro, na revisão deste artigo, verificou que havia digitado esqucimentos, omitindo o -e-. Num vestibular, esse lapso não seria penalizado pela banca de correção, pois é óbvio que se trata de distração. Já quando se trata de uma vírgula, o caso pode ser outro, pois é tão pequena que acabamos deixando de colocar: Compramos peixes ovos e farinha em vez de Compramos peixes, ovos e farinha; caso idêntico é o da omissão do ponto, que é necessário para marcar o encerramento de um período, parágrafo ou do texto. Imagine escrevermos

 

O Brasil está com inúmeros problemas trata-se de comportamentos em campos de atividade, em que a desobediência à ética se torna cada vez mais grave.

 

A falta de ponto final de período prejudica tanto o texto, o que é agravado pela vírgula após atividade. Quereria o escritor desse período colocar mesmo essa vírgula, para gerar esse significado?

No campo das palavras, ocorrem também omissões perigosas, como  a do conectivo e:

A indústria justifica o preço mais alto com o melhor desempenho do produto o conforto superior a  produtos concorrentes é um aparelho indicado para quem tem família numerosa.

 

Observe que há dois cochilos nesse trecho: a omissão do e em o desempenho do produto (e) o conforto; e assim também do ponto final do primeiro período. Esses dois esquecimentos deixam o texto tumultuado em seu sentido. Observe como deveriam estar:

 

A indústria justifica o preço mais alto com o melhor desempenho do produto e o conforto superior ao dos aparelhos oferecidos pelos concorrentes. É indicado para quem tem família numerosa.

Esquecimento que pode ser muito mais grave, porém, é o do -s e do -m em palavras, já que pode ser considerado grave erro de concordância. Numa frase como

 

Gostaríamos de dizer a todos os trabalhadores brasileiros que não só nosso país passam pela crise, mas também todos os países da Europa e dos demais continente, alguns mesmo muito mais que o Brasil.

 

Notou os cochilos? O redator deveria ter escrito passa, pois a concordância é com o termo país, na terceira pessoa do singular, e não no plural. Teria errado mesmo o redator ou se distraiu? Já em continente, foi omitido o -s do plural. Teria errado na concordância o escritor ou se tratou de uma omissão involuntária? Difícil saber. Na dúvida, uma banca teria de considerar como erro.

Percebeu quantos problemas podem gerar as pequenas distrações e omissões? Então comece a se concentrar mais em seus exercícios de respostas discursivas e redações. Esquecimentos, omissões, pequenas distrações podem gerar hábitos, e nisso talvez esteja a reprovação de muitos candidatos em concursos de acesso e vestibulares, em que uma vaga é decidida muitas vezes por milésimos.

Valeu? Era sobre isso que os professores sempre alertavam com as piadinhas como: Não coma letras e palavras, rapaz, Não têm proteínas e vitaminas.

Resumindo: não deixe que maus hábitos no escrever o prejudiquem. Toda a atenção, todo o cuidado são necessários para evitá-los.