Arquivo de 21 de maio de 2015

A melhor maneira de se preparar para a segunda fase

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Agora que a primeira fase do Vestibular Meio de Ano da Unesp foi realizada e você, com certeza, vai receber aprovação, prepare-se adequadamente para a segunda, respeitando os seguintes pontos:

 

1 – Em vez de alternativas a escolher, as respostas serão discursivas.

2 – A interpretação de texto será ainda mais importante para responder.

3 – A redação tem grande peso na média final.

 

O primeiro ponto é um alerta até para a forma de você estudar e se preparar. Em respostas a questões objetivas, a correta já vem escrita como uma das alternativas. Nas respostas discursivas, você é que tem de construir a correta. Tudo ficará, portanto, na dependência de seu discurso. Esta constatação demonstra que a forma de estudar está mudada. O tempo todo você deve imaginar perguntas sobre os pontos que estuda e redigir respostas adequadas. Com isso, estará se preparando para apresentar um discurso claro, objetivo e bem estruturado.

O segundo ponto ataca também um aspecto essencial: a interpretação. Nas questões de alternativas, se você não consegue de pronto a resposta correta, a interpretação pode surgir de comparações entre o que você entendeu numa primeira leitura e o que dizem as alternativas, até que você possa chegar à interpretação e à alternativa adequadas. O mesmo não é possível nas questões discursivas: você terá apenas a sua interpretação como guia. Por isso, será preciso uma leitura muito atenta e repetida da pergunta, para ter certeza do que é realmente indagado. Um pequeno erro de leitura da questão poderá levá-lo a um sério equívoco na resposta. Exercite-se mais, portanto, estudando enunciados de questões discursivas de vestibulares anteriores.

O terceiro ponto é igualmente verdadeiro: a redação tem peso valioso na nota. Intensifique suas práticas. Escreva mais redações sobre temas de outros vestibulares. Visite sites e blogues sobre vestibulares e redações: todos fornecem alguma informação útil. E não esqueça do que sempre o blogueiro alerta: redação não é sorte, é prática. Escreve-se bem na medida em que se pratica com regularidade o ato de escrever. Escritores não nascem sabendo escrever. Aprendem e, depois de muita prática, conseguem chegar a um estilo claro e eficiente para encorpar suas obras. Jornalistas, por exemplo, vão escrevendo cada vez melhor na mesma medida em que o tempo vai passando: cada dia é um novo exercício que os leva a aperfeiçoar mais e mais seu discurso. E você? Terá de praticar todo dia só para passar no vestibular? Nada disso. Como profissional de nível universitário, você terá de escrever muito durante seu curso, e muito mais fora dele, em relatórios, solicitações, artigos de divulgação e até mesmo artigos científicos, caso enverede para a pesquisa. Sem falar que profissionais de nível universitário são convidados a escrever para jornais, revistas e, mesmo, podem decidir escrever guias sobre o que fazem em seu trabalho diário e tudo o que acontece nele. Daí para tornarem-se escritores literários é só um passo. Há escritores que se formaram médicos, outros que se formaram engenheiros, e assim por diante. Em conclusão: a redação é um instrumento útil para a vida toda, independentemente da profissão.

Com estes alertas e muito empenho, pode ter certeza de que será aprovado também na segunda fase e poderá fazer o curso com que sonha. Boa sorte!