Arquivo de 12 de fevereiro de 2015

Mais palavras, mais ideias, mais texto!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Certo aluno, numa prova de redação, olhou desanimado para a folha em branco em que não havia conseguido escrever nada e declarou ao professor:

Professor, eu não tenho ideia!

O professor não deixou por menos e respondeu: Como? Você diz que não tem ideia? Está enganado, meu amigo! Você acaba de ter uma ideia, que é a ideia de não ter ideia!

Este blogueiro garante que o caso acima é verídico, ocorreu mesmo em sala de aula. E, por sua veridicidade (palavra bonita, não?), pode nos servir hoje para abordar um problema sério que muitos candidatos enfrentam ao escrever. Vamos colocar assim: você sabe falar, sabe ler, sabe escrever. E vive reclamando que, em muitas redações que faz, não tem ideias, e por isso não consegue escrever direito e tira notas baixas. Eu não tenho ideia ou ideias é, de fato, uma das explicações ou justificativas mais comuns de alunos que não conseguem fazer uma boa redação. Teriam razão ao dizer isso? É claro que não teriam e não têm. Raciocinemos: se alguém sabe escrever bem e faz uma redação ruim, ou não sabe escrever bem, ou não está bem informado sobre o tema. Justamente por isso, em vestibulares, são dados textos auxiliares para possibilitar ao candidato um melhor conhecimento do tema. O problema é que, se o candidato não conhecia nada do tema, informações de última hora talvez não sejam por ele muito bem assimiladas. Você já ouviu um ditado popular que bem descreve essa situação: marmelada na hora da morte mata.

Ora, pressupondo que o candidato saiba escrever razoavelmente e conheça bem o tema, conclui-se que só pode fazer uma redação pelo menos razoável, não é verdade? Então, neste caso, a justificativa não tenho ideia não pode ser considerada válida. Ou o candidato não conhece tão bem o tema como imagina.

O que é conhecer bem um tema, afinal? Eis a questão. Muitos consideram que conhecer bem um tema é ter feito leituras a respeito. Esta é uma meia verdade. Onde estaria a outra metade?  Em algo em que muitos não prestam a adequada atenção: o vocabulário! Sim, é isso mesmo, todo tema tem seu vocabulário próprio, que transporta as noções e os conceitos com ele relacionados. Por exemplo, o tema da escravidão e do preconceito racial, que volta e meia retorna nas propostas de redação deste ou daquele vestibular. Parece à primeira vista que é muito fácil escrever uma redação sobre o preconceito racial em nosso país, oriundo do período da escravatura. Não é tanto assim. É preciso levar em conta que o Brasil já teve um sistema escravagista, em que índios e negros eram submetidos ao cativeiro e a duros trabalhos, e que muitos efeitos desse sistema, apesar da abolição, persistem até hoje, particularmente o preconceito. Além disso, há um vocabulário próprio e alguns conceitos básicos que o redator não pode deixar de dominar: preconceito racial, discriminação racial, segregação racial, preconceituoso, segregacionista, escravagista, escravismo, escravização, escravidão, cativeiro, servidão, tráfico negreiro, navio negreiro, senzala, escravizar, acorrentar, agrilhoar, mergulhar no cativeiro, escravo, cativo, nascido de ventre livre, libertação, livramento, alforria, abolição, abolicionismo, 13 de maio, lei áurea, abolicionista, antiescravista, Isabel, a Redentora, libertar, dar liberdade, restituir à liberdade, grilhões, quebrar os grilhões, redimir, remir, alforriar, sacudir o jugo, carta de alforria, forro, liberto, direitos humanos, direitos do homem, igualdade, fraternidade, solidariedade, etc., etc. Além disso, é preciso conhecer também o fato de não existirem raças humanas, mas a raça humana, que é uma só: diferenças físicas como cor da pele, formato de partes do corpo não são suficientes para caracterizar diferentes raças. Quantos conceitos! Quantas noções! Quantos fatos! E veja que foi apresentado um vocabulário apenas resumido, que poderia ser muito aumentado.

Você percebeu a importância do vocabulário para o domínio de um tema. Sem esse vocabulário, pode-se escrever até uma redação razoável, mas que tangenciará alguns aspectos que são fundamentais ao tema. Pense agora em outros temas, como a poluição ambiental, a corrupção na política e nos negócios, o futuro do planeta, as guerras no mundo moderno, as relações entre os povos, etc., etc. Preparar-se para uma redação, deste modo, não é apenas ler algo sobre ele, mas atentar para os conceitos que o envolvem, para os vocábulos que transportam as suas ideias e para as relações que esse tema apresenta com outro ou outros, todas elas, evidentemente, mediadas pelo vocabulário.

Quer um conselho a esse respeito? Nunca deixe de consultar o dicionário ao ler um texto e encontrar palavras cujo sentido não conheça. É claro que o contexto pode permitir que compreendamos superficialmente o sentido dessas palavras, mas na hora de empregá-las num texto, como diz o povo: o bicho pega! A melhor maneira de dominar o vocabulário de um tema é esta: para cada palavra cujo significado dê trabalho à leitura, um passeio por um ou mais dicionários é o melhor remédio. Você sairá desse passeio dominando a palavra e o conceito que ela transporta. O dicionário, além disso, fornece frequentemente sinônimos que se tornam úteis, numa espécie de jogo do tipo palavra puxa palavra. Na hora de escrever, não terá dificuldade nem de usar a palavra, nem de usar os seus sinônimos. Em revistas e na mídia em geral você pode encontrar seções do tipo enriqueça seu vocabulário, com relações de palavras e seus possíveis sentidos. Você não gosta disso, nem tampouco o blogueiro, porque, se for para ficar lendo relações de palavras e seus sentidos é melhor apanhar o dicionário e ler uma página por dia. Nada disso funciona. O melhor, mesmo, é procurar o sentido da palavra no momento em que ela surge num texto que estamos lendo; fixamos, assim, muito mais eficientemente esse conhecimento. Cansativo? Nada disso! Cansativo era no passado, antes da internet e dos dicionários online. Hoje, com um ou dois cliques você chega até a palavra e suas acepções.

Valeu o conselho? Então não esqueça: um bom escritor tem de ter necessariamente um bom vocabulário para expressar suas ideias. Com um vocabulário pobre, o que expressaria? Procure ser um bom escritor e todas as provas e portas se abrirão para você!