Arquivo de 26 de novembro de 2014

Primeira fase do Vestibular: objetividade e equilíbrio

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A primeira fase do Vestibular 2015 da Unesp caracterizou-se pela objetividade e pelo equilíbrio, cujos efeitos principais foram a realização de uma prova calma, sem problemas de tempo, e do entendimento pleno das questões. Esta é a opinião unânime de candidatos e professores, que aprovaram inteiramente a prova, asseverando que todas as noventa questões foram satisfatoriamente compreendidas e resolvidas, devido a formulações bastante claras e precisas dos enunciados. O bom balanceamento entre questões conceituais e questões formais foi igualmente elogiadíssimo.

Para nós, da Unesp, estes elogios representam, ao mesmo tempo, a certeza de haver atingido o ideal de tornar o vestibular um exame que conduza os candidatos a ver coroada a satisfação de todo o esforço e sacrifício em sua preparação, além de intensificada a esperança de uma boa classificação para a segunda fase.

Como este blogueiro já mencionou algumas vezes, observar friamente o caderno de questões não dá ideia do empenho envolvido na elaboração e do ideal dos elaboradores de propiciar uma avaliação ponderada e justa dos candidatos, “sem pegadinhas”, como afirmaram alguns candidatos, e sem questões que, por muito trabalhosas, “roubassem” tempo precioso da solução das demais. Estas características, aliás, não são acidentais, mas fazem parte da própria concepção do Vestibular da Unesp: um exame vestibular não deve ser uma pedra no meio do caminho, como diria o poeta Drummond, nem tampouco um ritual de medo e terror, mas um momento de consagração da dedicação e esforço que os jovens colocam em seu dia a dia, anos a fio, para ingressar no curso de seus sonhos e, posteriormente, operar na carreira que os tornará cidadãos úteis e realizados em toda a sua vida.

Os candidatos, em suas manifestações de satisfação, sintetizaram seu parecer sobre a prova com expressões como “tranquila” e “fácil de resolver”. Com estas, traduzem os conceitos que constituem a própria alma da prova: objetividade, equilíbrio, praticidade.

Felicidades a todos.