Arquivo de 10 de abril de 2014

Meu método é infalível

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Conversa entre dois candidatos:

— Não consigo acertar o jeito de fazer provas objetivas. Perco muito tempo e sempre me estrepo.
— Siga meu método. É infalível!
— E como você faz?
— Divido o tempo da prova pelo número de questões e, se uma questão vai demorar muito pra responder, chuto. Não sou de perder tempo.
— E já fez quantos vestibulares?
— Uns cinco. E quase passei no fim do ano. Mas, agora, passo com certeza em algum vestibular de inverno. Este é o meu ano!
— É…

Diálogos como este podem ser ouvidos em vestibulares e concursos em geral. Sempre há alguém com um método “infalível”. Mas será que existe mesmo algum método infalível? Na verdade, existe, sim, apenas um método infalível: estar bem preparado, estudar pra valer, pelo menos durante todo o ensino médio. Quem está bem preparado enfrenta as questões de peito aberto, sabe o que sabe e sabe o que não sabe; assim, encontra seu próprio método de prestar as provas.

E quem não está bem preparado?  Muitos têm tanto receio das provas, que acabam mesmo por não se sentirem bem preparados. O primeiro ponto a considerar, neste caso, é que nem sempre acertamos quando avaliamos nossas possibilidades, isto é, nem sempre temos exata noção de quanto sabemos, de quão difíceis serão as provas, nem do tipo de questões que predominará. O primeiro conselho, neste caso, é trocar os julgamentos pessimistas de si mesmo por uma avaliação positiva: acreditar que estamos preparados e podemos conquistar a vaga. Este é o melhor modo de encarar, não apenas vestibulares, mas todos os desafios de nossa vida. Não é um bom método iniciarmos uma luta imaginando que vamos perder. Confiança é um ingrediente insubstituível na receita de sucesso.

Superado o pessimismo, o passo seguinte é experimentar, fazer provas de diferentes anos e universidades, tentar descobrir qual a tática mais adequada a seu modo de ser, a seu temperamento. E testá-la muitas vezes, para ter certeza. O candidato otimista do diálogo que iniciou este artigo não é tão ingênuo como parece. Em primeiro lugar, está armado de bastante otimismo; segundo, acredita firmemente em seu método; terceiro, já prestou alguns vestibulares sem passar e não desanimou, acredita firmemente que vai passar. E vai acabar sendo aprovado, mesmo, porque tem autoconfiança, ou seja: em vez de menosprezar a si mesmo nas derrotas, valoriza os resultados que vai obtendo, por menores que sejam. Seu método de prestar provas, na verdade, não é infalível: ele sabe disso. E sabe, também, que precisa de apenas uma oportunidade, um conjunto de circunstâncias em que o método funcione, para obter a tão sonhada vaga. Vai conseguir.

Esta é a receita. É infalível? Depende de você.