Archive for February, 2014

Insista! Não insista!

Wednesday, February 12th, 2014

Usualmente tratamos neste blogue de assuntos que interessam aos candidatos, ao longo do ano, procurando fornecer-lhes informações, comentários úteis, dicas sobre conteúdos, bem como anotações sobre a filosofia das provas de exames vestibulares e critérios de avaliação. Entre o final e o começo do ano, dedicamo-nos bastante a estimular os candidatos que ficam na expectativa das relações de classificados e das listas de chamada para as matrículas.

Nunca deixamos, porém, de pensar naqueles que, depois de tanto esforço e tanto trabalho, não conseguiram obter a vaga em nenhum vestibular. E é justamente para eles que postamos o artigo de hoje.

Você tentou, tentou, mas não conseguiu. E vamos supor que não tenha entrado em nenhuma lista de espera. Enquanto alguns festejam e outros aguardam ainda ansiosos as divulgações de listas de segunda ou terceira chamadas, você já sabe que não terá mais chance. Experimentou três ou quatro vestibulares e não foi aprovado em nenhum. Se um amigo disser que isso é normal, por certo você exclamará, com irritação: Normal? Que nada! Normal seria eu ter sido aprovado. Era o que eu mais desejava!

Na verdade, tanto seu amigo quanto você estão certos, porque falam de temas distintos: seu amigo parte da evidência de que todos os anos, nos exames vestibulares, muitíssimos candidatos não conseguem vagas. Já você considera o seu anseio, o seu sonho, o seu esforço para atingir o objetivo final de uma classificação. Esse, de fato, não é o verdadeiro problema: o que importa mesmo é a sua decisão em face do acontecido. Muitos, em seu lugar, pensariam em desistir, mudar de rumo, buscar outra forma de trabalho que nada tenha a ver com tantas apostilas, tanta internet, tantas provas. Se é isso o que pensa, não está lá muito certo. Qualquer que seja o trabalho, qualquer que seja a carreira, universitária ou não, a vitória é fruto de muito esforço, muito preparo, muita concentração. Nada é fácil no universo do trabalho.

O que você não deve colocar para si mesmo nunca é a imagem do fracassado. Quem se esforça, quem sonha, quem busca jamais será um fracassado, será sempre um lutador. E é essa a imagem que deve considerar como sua. Você pode até desistir de prestar vestibulares e buscar carreira fora da universidade. Mas não deve desistir por julgar que fracassou nas tentativas. Na verdade, fez tentativas que ainda não deram certo, mas, com esforço, com perseverança, poderão dar. Muitos homens ao longo da História só realizaram seus sonhos após muitos anos de tentativas, de enganos, de tropeços. E chegaram porque acreditavam em si mesmos, porque sabiam que todos nascem para a vitória, não para a derrota, e que cada derrota deve ser vista como mais um degrau necessário para levar à vitória final.

Acredite, portanto, firmemente, que você é uma pessoa destinada à vitória e que, por isso, mais cedo ou mais tarde, atingirá todos os seus objetivos na vida. Olhe-se ao espelho como quem já venceu, porque não parou de lutar, e, quando chegar lá, diga a você mesmo, com orgulho: Viu? Eu sabia que iria conseguir! Só dependia de mim!

Pense nisso. Insista! Não desista! Programe sua vida apenas para o sucesso!

 

Seu idioma, seu passaporte

Wednesday, February 5th, 2014

No momento em que você toma as providências para matricular-se e iniciar seu curso universitário, vale lembrar algo muito importante, tão importante que já representou parte de sua aprovação nos exames e, no futuro, representará muito mais: seu idioma.

Realmente, o domínio do idioma, em qualquer país e por qualquer profissional é meio caminho andado para o sucesso. Um discurso oral bem estruturado e um discurso escrito claro e eficiente, de acordo com a norma-padrão, tornam-se ao profissional verdadeiros passaportes para o sucesso. Assim como as roupas que usa e os comportamentos que assume, todo profissional não deve descuidar-se do discurso. Você pode até retrucar que conhece profissionais universitários que se expressam mal. Claro que existem, mas esses não constituem o melhor modelo e, por certo, enfrentam muitos problemas pela carência de uma expressão mais adequada. O desenho ideal que você faz de você em seu futuro com certeza não é esse.

Então, qual é? Você se imagina, no momento em que estiver assumindo uma carreira em que acabou de formar-se, uma pessoa com presença, com porte, com atitude, vestindo-se de modo adequado a seu trabalho e usando de um discurso, quer oral, quer escrito, capaz de demonstrar quem você é, o que você sabe, de que você é capaz para cumprir cada uma de suas tarefas.

Por tudo isso o domínio de seu idioma é essencial. Uma pessoa que fala bem impressiona seu interlocutor, quer tenha este igual ou inferior domínio de discurso. Se tiver igual, o reconhecerá como igual; se tiver inferior, admirá-lo-á por sua maior capacidade.

Além de tudo isso, não se pode negar que há uma fortíssima relação entre o domínio do idioma e a capacidade de compreender conteúdos das mais diferentes disciplinas, inclusive nas ciências exatas. É possível equivocar-se na solução de um problema de Física por não compreender adequadamente o significado de uma palavra ou expressão; ou do próprio enunciado como um todo.

Assim, ao iniciar seu curso universitário, seja este qual for, não deixe de continuar exercitando e aumentando sua capacidade de expressão oral e escrita. E continue enriquecendo seu vocabulário. Em conjunto, constituem seu passaporte para uma formação mais eficiente e uma carreira de maior sucesso.

Desejamos toda a felicidade a você. E um excelente discurso.